AS EMPRESAS AÉREAS BRASILEIRAS E SEUS CATALINA

AERO GERAL

A Aero Geral foi criada, na Região Amazônica, em 1941, com um único avião – um pequeno monomotor Monocoupe 90A. Em 10 de fevereiro de 1942, foi-lhe concedida autorização para realizar voos regulares, mas, não chegou a operar por falta de avião adequado. A falta de recursos e sua frota limitada – apenas o monomotor Monocoupe 90A – inviabilizaram sua proposta comercial. Ela funcionou apenas até 1944.

Em meados de 1946, porém, surgiram rumores de que a Panair do Brasil pretendia abandonar suas Linhas Amazônicas, que passariam para outra empresa local por subcontrato. Em face disso, um ex-Gerente da Cruzeiro do Sul em Natal (RN), Joaquim Fontes, e dois ex-pilotos da Panair, Custódio Netto Júnior e A. F. McLaren, adquiriram os direitos sobre o título da empresa e solicitaram sua reabertura, em janeiro de 1947. Mas, a Panair não abandonou seus serviços na Amazônia e os novos donos da empresa tiveram de buscar uma solução independente e procurar outra área para implantar sua linha regular.

Compraram três anfíbios Consolidated PBY-5A CATALINA da Rubber Development Corporation e obtiveram autorização para operar a linha ligando Santos/SP a Natal/RN, com escalas nas principais capitais litorâneas da rota. A linha foi inaugurada, em março de 1947, inicialmente partindo do Rio de Janeiro/GB, estendida até Santos/SP, dois meses depois.

Ainda em 1947, adquiriu um hidroavião Consolidated PBY-5 da Rubber Development Corporation e, nos anos seguintes, aumentou sua frota com um Curtiss Commando C-46, e dois Douglas Dakota DC-3. As operações prosseguiram até que a queda de um dos PBY-5A (PP-AGC), no litoral baiano, em 02 de junho de 1951, levou a empresa a vender os outros remanescentes. Em 1952, vendeu à Paraense Comercial Ltda. (depois Paraense Transportes Aéreos S.A.) os PBY-5A PP-AGA e PP-AGH, e à Prospec Levantamentos Prospecções e Aerofotogrametria S. A. o PBY-5A PP-AGB. O C-46 e os DC-3 foram vendidos, em maio de 1952, à VARIG, que também comprou a própria Aero Geral, transação aprovada pelo Ministério da Aeronáutica, em julho de 1953, demarcando o desaparecimento da empresa. Suas linhas, porém, ajudaram a VARIG a se transformar na companhia que voava “do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte”.

AERONAVES:

PBY-5A CATALINA – Prefixo PP-AGA (Serial Number 97-883, BuNo 08064 U.S. Navy)

Com a matrícula NC33300, foi adquirido da Rubber Development Corporation, em Belém/PA, em 1947, e registrado com a matrícula PP-AGA. Vendido à Paraense Comercial Ltda. (depois Paraense Transportes Aéreos S.A.), em fevereiro de 1952, e registrado com a matrícula PT-ANU. Adquirido pela PROSPEC – Levantamentos Prospecções e Aerofotogrametria S. A.,  em fins de 1952 (ainda sem confirmação da data e sobre o período de emprego da aeronave). Em 19 de julho de 1957, foi registrado com a matrícula PP-BTD, na Paraense Transportes Aéreos S.A. Adquirido pela SAVA, em agosto de 1959, onde operou com a matrícula PT-BEA e, a partir de novembro de 1960, com a PT-BGB. W/o Feb 21, 1961.

PPAGA

Na foto: Captain - C.F. Rocha, 1st officer - B. Ferrari , Radio Op/Navigator - E. Castro,
Flt/Eng - F. Madeiros

Consta do Registro Aeronáutico Brasileiro – RAB como um CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA Serial Number 97-883 com as matrículas PP-AGA, PT-ANU, PP-BTD, PT-BEA, e PT-BGB:

PT-ANU CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA       97-883          Ex-PP-AGA; Trnf PP-BTD
PT-BEA CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA       97-883          Ex-PP-BTD; Trnf PT-BGB

PT-BGB CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA       97-883          Ex-PT-BEA

PBY-5A CATALINA - Prefixo PP-AGB (Serial Number – 417; BuNo 08090 US Navy)

Adquirido da Rubber Development Corporation, em Belém/PA, em 1947, e registrado com a matrícula PP-AGB. Vendido à PROSPEC – Levantamentos Prospecções e Aerofotogrametria S. A., em julho de 1952, e registrado com a matrícula PT-ANP.

Consta do Registro Aeronáutico Brasileiro – RAB como um CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA Serial Number 417 com as matrículas PT-ANP, PT-ASX, e PT-BTC.

PT-ANP CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA        417             Ex-PP-AGB; Trnf PT-ASX 
PT-ASX CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA        417             Ex-PT-ANP; Trnf PT-BTC
PT-BTC CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA        417

CANADIAN VICKERS AO-10A CATALINA – Prefixo PP-AGC (CN CV 480)

Pertencente à Rubber Development Corporation foi adquirido pela Aero Geral, em 1947, e matriculado como PP-AGC. Acidentado, em voo de Recife/PE para Salvador/BA, em 02 de junho de 1951, próximo à cidade de Palame/SE, falecendo o seu piloto Comandante Zenith Reis e seu copiloto. Perda total da aeronave.

Consta do Registro Aeronáutico Brasileiro – RAB como um CONSOLIDATED PBY-5A Serial Number CV-480 com a matrícula PP-AGC.

PBY-5 CATALINA - Prefixo PP-AGD (MSN 91; BuNo 08124 US Navy)

PPAGD

Posteriormente aos 03 (três) PBY-5A iniciais, foi adquirido da Rubber Development Corporation, em julho de 1947, com a matrícula norte-americana NC33303, e matriculado como PP-AGD. Acidentado, em 13 de fevereiro de 1948, no Aeroporto Santos Dumont – Rio de Janeiro/GB, foi considerado irrecuperável e desmontado para reaproveitamento de componentes, peças, e equipamentos.

Consta do Registro Aeronáutico Brasileiro – RAB como um CONSOLIDATED PBY-5 Serial Number 91-1018 com a matrícula PP-AGD.

PBY-5A CATALINA – Prefixo PP-AGH (Serial Number 1995, BuNo 46631 U.S. Navy)

Inicialmente com a matrícula norte-americana N74694, foi adquirido, no final de 1950, em Don Cardiff – Miami/FLO, e matriculado como PP-AGH. Não chegou a operar na Empresa, sendo vendido à Paraense Comercial Ltda. (depois Paraense Transportes Aéreos S.A.), em 26 de agosto de 1952, passando a operar com a matrícula PT-AMR. Transferido para a SAVA onde, provavelmente, operou no período de 1952 a 1954. Acidentado, em Marabá/PA, em 12 de maio de 1954, com perda total da aeronave.

Consta do Registro Aeronáutico Brasileiro – RAB como um CONSOLIDATED PBY-5A Serial Number 1995 com a matrícula PT-AMR: PT-AMR CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA         1995

*******************************************************