AS EMPRESAS AÉREAS BRASILEIRAS E SEUS CATALINA

PROSPEC – LEVANTAMENTOS PROSPECÇÕES E AEROFOTOGRAMETRIA S.A.

ProspecLogo1955Logo da PROSPEC em 1955

A PROSPEC – Levantamentos Prospecções e Aerofotogrametria S.A. foi fundada, em 1951, pelo empresário Celso da Rocha Miranda com um pequeno grupo de sócios, inclusive representantes de uma empresa canadense, a PSC – Photographic Survey Corporation, encarregada de transferir “know-how” para a nova empresa.

Abaixo a notícia, no Diário Oficial da União, de sua primeira assembleia, e a primeira página da Escritura de Constituição da PROSPEC:

“Aos vinte e três dias do mês de julho de mil novecentos e cinquenta e dois, às dezesseis horas, na sede social da “Prosam” (*), Levantamentos, Prospecções e Aerofotogrametria S. A., à Avenida Rio Branco, 85, 13º andar, reuniram-se em Assembleia Geral Extraordinária os acionistas da Sociedade, representando a totalidade do capital social, conforme se verifica pelas assinaturas apostas no Livro de Presenças. Por aclamação geral, assumiu a presidência da Assembleia o presidente da Sociedade, Dr. Celso da Rocha Miranda, o qual convidou o acionista Charles Vincent Reade Júnior para secretariar os trabalhos. Constituída assim a mesa, o Sr. Presidente informou aos srs. acionistas que a Assembleia fora regularmente convocada por editais publicados no Diário Oficial e “Jornal do Comércio”, de 12, 14 e 15, e 12, 13 e 15 (novembro de 1952). ..................................................................

...............................................................................................................................................................................................................

Pediu aos srs. acionistas que se mantivessem no recinto pelo tempo necessário à lavratura da presente ata, a qual, depois de lida e aprovada, vai por todos assinada. — Rio de Janeiro, 23 de julho de 1952. — Celso da Rocha Miranda, Presidente; Charles Vincent Reade Júnior, Secretário; Arnaldo Ancora da Luz — Nélson Luiz Lage Mascarenhas — Plácido Antônio da Rocha Miranda — João Francisco Coelho Lima — José Sarmento Barata — John Russell Warren — Gastão Correia da Veiga Pilho — P.p. Carlos Oliveira Rocha Guinle, Celso da Rocha Miranda; P.p. The Photographic Survey Co Alberto Torres Filho.

(*) – Depois desta assembleia, passou a ser denominada PROSPEC (palavra derivada do termo “prospecções”, objeto principal da nova empresa)”.

A PROSPEC, no início de suas atividades, contou com o apoio técnico da PSC – Photographic Survey Corporation, empresa canadense então líder mundial no setor de levantamentos aéreos especializados. Foram adquiridas as primeiras aeronaves, câmeras aerofotográficas, câmeras 35 mm de rastreio, cintilômetros aéreos de contagem total, aeromagnetômetros (tipo fluxgate), e radar-altímetros. Pilotos, técnicos e operadores eletrônicos vieram da PSC para transmitir as modernas técnicas da então nascente indústria brasileira de aerolevantamentos.

A sede social da empresa ficou localizada no Rio de Janeiro/GB, próxima ao Aeroporto Santos Dumont e aos órgãos governamentais da época. O Escritório Técnico fixou-se em Petrópolis/RJ, à Rua Darmstadt 1162, na época uma estrada rural sem calçamento, nos confins do Bingen, onde muitos adolescentes fizeram seu aprendizado e foram, no decorrer dos anos, substituindo os instrutores estrangeiros. 

Os primeiros aviões adquiridos, um PBY-5A CATALINA, um Lockheed Electra 12-A, um Lockheed 14-08 e, algum tempo depois, um Lockheed Hudson e um Douglas DC-2 (aeronave adquirida da Cruzeiro do Sul com fuselagem de DC-2 e motores de DC-3, passando, a ser conhecida jocosamente como DC-  2½…), foram baseados num campo de pouso com hangar para manutenção de aeronaves e equipamento eletrônico, arrendado à antiga Fábrica Nacional de Motores (FNM), em Xerém/RJ.

O CATALINA foi utilizado para a prospecção aerogeofísica graças às suas características de voar sob condições adversas. Sua autonomia era superior a doze horas, podendo ser levada a qualquer ponto do país sem necessidade de reabastecimento; sua velocidade extremamente baixa aumentava a precisão na medição dos instrumentos a bordo. Voar em terrenos acidentados a alturas inferiores a 150 metros e, portanto, mais próximo às ocorrências minerais do subsolo, era prática comum para os pilotos desta aeronave.

À época dos primeiros levantamentos aerogeofísicos realizados (1952/1953), uma das divisões da PROSPEC era a Divisão de Operações Aéreas, com o piloto Marcio Paes Barreto, o mecânico de voo Milton Bissesto, ambos egressos da VASP, John Russel Warren – piloto canadense emprestado da PSC, Henrique Presgrave – navegador e operador de câmera, e Renê Perlingeiro – operador eletrônico.

Entre fevereiro e agosto de 1957, o PBY-5A PT-ANP da PROSPEC realizou diversos levantamentos aerogeofísicos para a empresa PETROBRAS.

No início da década de sessenta, surgiu o primeiro contrato para um projeto aerogeofísico no exterior, com a PEGASA – Petróleo Guarany S.A., para um tipo de trabalho novo no Chaco Paraguaio, numa área situada entre as cidades de Assunção e Mariscal Estigarribia: levantamento aeromagnetométrico, visando localizar fraturas e trapas passíveis de conter depósitos de petróleo e gás. Para este tipo de levantamento o voo é nivelado e geralmente de 500 a 600 metros sobre o terreno. As anomalias magnéticas resultantes combinadas com a geologia regional indicam os locais para perfuração na busca dos hidrocarbonetos.À época dos primeiros levantamentos aerogeofísicos realizados (1952/1953), uma das divisões da PROSPEC era a Divisão de Operações Aéreas, com o piloto Marcio Paes Barreto, o mecânico de voo Milton Bissesto, ambos egressos da VASP, John Russel Warren – piloto canadense emprestado da PSC, Henrique Presgrave – navegador e operador de câmera, e Renê Perlingeiro – operador eletrônico.

A base de operações, em Assunção/Paraguai, foi chefiada pelo sul-africano Bill Howard e o avião selecionado foi o CATALINA PBY-5A PT-ANP, pilotado por Marcio Paes Barreto e tendo como navegador Stenio Benedito dos Santos. A PROSPEC continuava contando com o apoio logístico da Lockwood Survey Corporation, sucessora da PSC. O CATALINA foi equipado com magnetômetro Gulf tipo fluxgate, câmera de rastreamento 35 mm CARL para recuperação das linhas de voo, radar-altímetro Bonzer TRN-70 para medição contínua da distância entre o solo e a aeronave e registradores analógicos.

AERONAVES:

PBY-5A CATALINA – Prefixo PT-ANU (Serial Number 97-883, BuNo 08064 U.S. Navy)

PTANU

O PT-ANU da PROSPEC, em Xerém/RJ, em 1953

Com a matrícula NC33300, foi adquirido da Rubber Development Corporation, em Belém/PA, em 1947, pela Aero Geral, e registrado com a matrícula PP-AGA. Vendido à Paraense Comercial Ltda. (depois Paraense Transportes Aéreos S.A.), em fevereiro de 1952, e registrado com a matrícula PT-ANU, em 10 de setembro de 1952. Adquirido pela PROSPEC – Levantamentos Prospecções e Aerofotogrametria S. A., em fins de 1952 (ainda sem confirmação da data e sobre o período de emprego da aeronave). Em 19 de julho de 1957, foi registrado com a matrícula PP-BTD, na Paraense Transportes Aéreos S.A. Adquirido pela SAVA, em agosto de 1959, onde operou com a Matrícula PT-BEA e, a partir de novembro de 1960, com a PT-BGB. W/o Feb 21, 1961.

Consta do Registro Aeronáutico Brasileiro – RAB como um CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA Serial Number 97-883 com as matrículas PP-AGA, PT-ANU, PP-BTD, PT-BEA, e PT-BGB:

PT-ANU CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA 97-883 Ex-PP-AGA; Trnf PP-BTD
PT-BEA CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA 97-883 Ex-PP-BTD; Trnf PT-BGB

PT-BGB CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA    97-883  Ex-PT-BEA

PBY-5A CATALINA - Prefixo PT-ANP (Serial Number – 417; BuNo 08090 US Navy)

PTANP

Adquirido da Rubber Development Corporation, em Belém/PA, em 1947, pela Aero Geral, e registrado com a matrícula PP-AGB. Vendido à PROSPEC – Levantamentos Prospecções e Aerofotogrametria S. A., em julho de 1952, e registrado com a matrícula PT-ANP, em 10 de setembro de 1952 (ainda sem informação da data da compra e sobre registros da venda da aeronave).

Consta do Registro Aeronáutico Brasileiro – RAB como um CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA Serial Number 417 com as matrículas PT-ANP, PT-ASX, e PT-BTC:

PT-ANP CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA   417 Ex-PP-AGB; Trnf PT-ASX 
PT-ASX CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA   417  Ex-PT-ANP; Trnf PT-BTC
PT-BTC CONSOLIDATED PBY-5A CATALINA       417

*********************************************************