O Comandante MUNIZ

RAYMUNDO DUARTE MUNIZ

Nome de Guerra: MUNIZ

Posto/Quadro: Capitão QSS BMA da Aeronáutica

Unidades onde operou o CATALINA: 7º Regimento de Aviação (depois 7º Corpo de Base), sediado no Bairro do Souza, em Belém/PA, onde era 3º Sargento Mecânico da Aeronáutica Militar (Ministério da Guerra) até 1944; 1º Grupo de Patrulha, sediado na Base Aérea de Belém, em Belém/PA, como 3º Sargento QAV, de 17 de agosto de 1944 a 24 de março de 1947; 1º/2º Grupo de Aviação (Patrulha), sediado na Base Aérea de Belém, em Belém/PA, de 24 de março de 1947 a 1950, como 2º Sargento QAV (1947) e 1º Sargento QAV (1948).

Qualificação no PBY: 1º Mecânico de Voo e Instrutor; 1º Piloto

Horas de Voo em PBY: 5.000

Registros pessoais e da carreira profissional: Nascido em 29 de maio de 1916, no Pará. Filho de Roque Gracilliano Muniz e Raymunda Duarte Muniz. Ingressou no Exército, em 08 de agosto de 1932, tendo servido no Núcleo do 7º Regimento de Aviação (depois 7º Corpo de Base) da Aeronáutica Militar, sediado no Bairro do Souza, em Belém/PA, como 3º Sargento Mecânico da Aeronáutica Militar, de 1936 a 1941. A partir de 20 de janeiro de 1941, com a criação do Ministério da Aeronáutica foi incorporado ao seu efetivo. Pelo Decreto Nº 8.886, de 02 de março de 1942, foi classificado no Corpo de Pessoal Subalterno da Aeronáutica, procedente da Arma de Aeronáutica do Exército, atendendo ao que se refere o art. 8º, parágrafo 1º, do Decreto-Lei n. 2 961, de 20 de janeiro de 1941, e assim enquadrado: “A – Ramo de Aeronáutica: Quadro de Mecânicos de Avião (Q.AV.) resultante da fusão dos mecânicos da Aeronáutica Militar e do pessoal do Quadro de Motores da Aviação Naval. A subespecialidade de Montagem do Quadro de Estrutura da Aviação Naval fica em extinção. Os suboficiais, primeiros, segundos, e terceiros sargentos dessa subespecialidade, são classificados nesse quadro em números homólogos aos mecânicos de avião e terão como abreviação as letras AV-MD.”. A partir de 17 de agosto de 1944, passou a integrar o efetivo do 1° Grupo de Patrulha, sediado na Base Aérea de Belém/PA e nessa data criado, equipado com hidroaviões Consolidated PBY-5 Catalina. Durante o transcurso da II Grande Guerra, os Mecânicos dos PBY-5 e PBY-5A eram treinados na pilotagem dessas aeronaves para atuar em casos de emergência pela perda de um ou dos dois pilotos. O 3S QAV MUNIZ teve, nessa época, sua iniciação como Piloto de Catalina. Em 24 de março de 1947, com a desativação do 1° Grupo de Patrulha e criação do 1º/2º Grupo de Aviação, na Base Aérea de Belém/PA, foi incorporado ao seu efetivo. Em 1949, pertencia ao efetivo do 1º Grupo de Transporte, sediado na Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro/GB. Foi promovido a 2º Tenente, por Decreto de 06 de fevereiro de 1950, e a Capitão, por Decreto de 19 de agosto de 1952, como reconhecimento por ter servido em Zona de Guerra e participado da Campanha do Atlântico Sul na II Guerra Mundial. Passou para a Reserva da Aeronáutica, em 18 de junho de 1954. Fundou a Empresa Serviços Aéreos do Vale Amazônico – SAVA, possivelmente em 1º de setembro de 1949, sediada em Belém/PA, que operou no transporte comercial de carga e passageiros de e para diferentes destinos da Amazônia, com diversas aeronaves dentre as quais os CATALINA PBY-5A. Conhecido, na Amazônia, como “Comandante Muniz” e “Capitão Muniz”. Citado em artigo do jornalista José Valente, na edição do jornal "O Liberal" de 18 de maio de 1991, sob o título "Os Catalinas do Primeiro Grupo de Patrulha". Em 1988, aos setenta e dois anos, fazia parte da Diretoria da Empresa TNT SAVA SERVIÇOS AÉREOS DO VALE AMAZÔNICO S/A para o mandato de 1988/1990. Faleceu em 20 de junho de 1994.

********************************
Agradecimentos especiais aos Amigos que participaram da exaustiva pesquisa para obtenção dos dados deste conteúdo, cujo apoio e impar dedicação pessoal possibilitaram a identificação do até então, para os integrantes da Família Catalineira, incógnito “Comandante Muniz” bem como o registro de alguns dos seus muitos feitos e fatos:
– Adilson Mello – Tenente Coronel do Exército e Comandante da Aviação civil, copiloto do Douglas Dakota DC-3 prefixo PT-KVJ do “Comandante Muniz”, quando operava em Porto Velho/RO, na década de oitenta;
– Francisco Leandro Gomes – “Catalineiro” da FAB, advogado e consultor aeronáutico em Porto Velho/RO;
– Gilberto de Castro Bitar – “Catalineiro” da FAB e empresário em Belém/PA;
– José Felinto Filho – Maj. QOECOM da Aeronáutica.
A eles meu reconhecimento e a minha gratidão!

********************************